13 maio, 2008

Mamã-Andorinha

As andorinhas atravessam oceanos passando dias sem comer nem beber, apanham a comida do ar, conseguem baixar o ritmo cardíaco e a respiração ao mínimo possível, têm uma enorme capacidade de orientação e fazem vôos rasantes sem se magoarem.
E sobrevivem.

Todos os anos migram para paragens mais quentes e voltam sempre ao ninho que construiram no ano anterior com o seu par eterno.

Esta é a minha mãe. E está quase a chegar ao ninho depois de uma grande jornada com muitos ventos contrários.

Quase quase! É só mais um bocadinho!

1 comentário:

Vera Faxelha.F *FAXELHART* disse...

Um grande,grande beijinho para ti e para a tua mãe...as melhoras!!! ;)